1/2

Maior licitação da história de São Carlos resulta na venda do Parque Aquático, confira.


Foi realizada na manhã desta quarta-feira (12) junto a Prefeitura de São Carlos, o processo de compra e venda do Parque Aquático de São Carlos. Duas empresas, uma de São Carlos e outra de Marcelino Ramos/RS efetuaram o depósito inicial de 5% do valor total de pouco mais de R$ 4 milhões de reais, como sinal de interesse. Porém somente a Delfim Empreendimentos do Norte Gaúcho atendeu aos demais requisitos, contemplados no Edital.

VEJA MAIS FOTOS CLICANDO AQUI.

A empresa vencedora, inclusive abdicou dos prazos e recursos, e a homologação foi efetivada pelo Prefeito Rudi Miguel Sander que acompanhou o processo na íntegra, e até se emocionou após o resultado. A ata da reunião foi assinada pelos presentes.

Além do Secretário de Turismo, Silvano Mayer, o processo foi acompanhado pela comissão formada e demais lideranças municipais, como vereadores, secretários, equipe jurídica, além de empresários, a maioria de Balneário de Pratas. O ex- prefeito de São Carlos, Rui Celso também esteve presente.

A reportagem da Tropical FM acompanhou todo o processo desde o fechamento para credenciamento as 08h30 até a abertura dos envelopes as 8h45. Logo após, ainda emocionados, prefeito Rudi Sander e Secretário Silvano Mayer concederam entrevista falando do processo, bem como o empresário Volnei Mafissoni, popular Delfim, que destacou os desafios assumidos, o potencial de São Carlos e a certeza de investimento com desenvolvimento do município.

Resumo

Lembrando que o processo do Parque Aquático se arrasta por anos e está na terceira gestão com situações indefinidas, mas que agora teve importante passo para que o imbróglio seja resolvido. Na época da construção da barragem Foz do Chapecó em 2009, a perda do potencial turístico de Pratas em função da baixa do nível do Rio Uruguai ocasionado pela Usina, fez com que uma compensação fosse oferecida pela Barragem, sendo um dick de contenção e ou um Parque Aquático.

O espaço teve recursos repassados de cerca de R$ 7 milhões, mas teve como opção apontada pela Câmara de Vereadores em votação, a execução por parte da Prefeitura Municipal e não pela Usina. Nesta votação, o atual prefeito Rudi Sander, vereador da época foi contra a execução do projeto pelo município. Desde então, no projeto nada mais ocorreu, e o montante destinado, nunca esclarecido. Parte da estrutura em Balneário de Pratas, se deteriora a anos as margens da SC 283.

#JORNALISMO

TROPICAL FM 97.7 - 2020 - LESS.webmaster