1/2

Chapecó decreta situação de emergência devido estiagem


Diante da escassez severa de chuva na região, que vem comprometendo a rotina e a qualidade de vida da população nas áreas urbana e rural, o Prefeito Luciano Buligon, após reunião com as secretarias e órgãos competentes, decidiu decretar de situação de emergência em Chapecó, em decorrência do comprometimento no abastecimento de água.


Além de pouca chuva, a precipitação tem sido esparsa e mal distribuída, o que dificulta ainda mais as atividades produtivas, lavouras, produção animal, oferta de água nas fontes, açudes, e até mesmo, poços profundos.


Dados da Efagri mostram que a estiagem vem afetando o Município desde o mês de julho, sendo que a situação se agravou no mês de setembro, quando foi registrada a menor precipitação do mês dos últimos 51 anos, com apenas 40 mm de chuva em Chapecó. Em outubro não foi diferente.


Cerca de 100 famílias do interior estão recebendo água por meio dos caminhões-pipa semanalmente. Por dia, são distribuídos aproximadamente 300 mil litros de água principalmente nas seguintes Linhas: Marcon, Serrinha, Água Amarela, Caravaggio, São Roque e Palmital dos Fundos. Hoje são dois caminhões, cada um com capacidade de 9 mil litros de água, atendendo primeiro o consumo humano, e em segundo lugar, o consumo animal.


A situação também é crítica para as Agroindústrias. Para manter os trabalhos, as empresas estão captando água diretamente do Rio Uruguai. No momento são 69 caminhões-pipa com capacidade média para 35 mil litros de água, realizando cerca 350 viagens por dia para garantir o abastecimento das unidades produtivas.


A Administração reforça a necessidade de conscientização da população sobre o uso racional de água. O Decreto de Situação de Emergência publicado ontem tem vigência de 180 dias.



Fonte: Rádio Chapecó

TROPICAL FM 97.7 - LESS.webmaster