1/2

Chapecó: Servidor pode ter desviado R$ 200 mil da Casan


A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada no Combate à Corrupção, concluiu Inquérito Policial que apurou existência do crime de corrupção passiva praticado por empregado público da CASAN. Após 8 meses de investigação, foi possível obter sólidos elementos acerca da prática criminosa.


No contexto, foi verificado que o investigado solicitava valores de empresas privadas para que estas pudessem fazer uso de alguns dos serviços prestados pela CASAN na cidade de Chapecó.


Ocorre que, para a prestação de tais serviços, a empresa interessada deveria realizar o pagamento de taxas diretamente à própria CASAN, o que não ocorreria.


Uma vez que empregado investigado era responsável pela gestão de alguns dos serviços prestados pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento, o mesmo solicitava para si valores aos proprietários de empresas e em troca, valendo-se de sua função, autorizava a realização do serviço pela CASAN sem o devido pagamento das taxas necessárias, causando considerável prejuízo.


No decorrer das investigações foi possível verificar que a prática criminosa ocorria com frequência e ao menos desde 2018, podendo ter causado prejuízo superior a R$ 200.000,00. Foi ainda representado ao Poder Judiciário pelo afastamento do empregado de suas funções. A PC não divulgou nomes.



Fonte/foto: PCSC

TROPICAL FM 97.7 - LESS.webmaster