1/2

Conmebol não desiste da Liberta e calendário de Grêmio e Inter poderá ter cenário caótico


A Conmebol não pretende desistir da retomada da Libertadores em 2020, mesmo com um cenário imprevisível neste momento por causa da pandemia do coronavírus. Na entidade, a ordem é fazer um planejamento com as diferentes situações que poderão se apresentar.

Por enquanto, é impossível projetar data para a volta da competição. E nem garantir que isso irá ocorrer. Até porque a situação é dramática em alguns locais, como o Equador. Para retornar, será preciso ter o espaço aéreo aberto em todos os países que tem representantes na competição.

Mas a convicção na entidade é que é possível terminar a Libertadores ainda em 2020. Até porque serão necessárias poucas datas. O cálculo é este, e prevê 11 datas:


Quatro datas para as quatro rodadas que restam da fase de grupo

Duas datas para as oitavas de finais

Duas datas para as quartas de finais

Duas datas para as semifinais

Uma data para a final do Maracanã


O raciocínio é de que é possível usar as datas de meio de semana a partir de setembro, e ainda assim terminar a Libertadores em novembro.


Mas outro cenário também é feito, empurrando o final da competição mais para a frente. Neste caso, se poderia retomar a Libertadores em outubro ou novembro. Nesta situação, a disputa do Mundial, prevista para dezembro, no Catar, ficaria inviável, pois a competição sul-americana terminaria em dezembro ou janeiro.


A grande questão é que se a Libertadores voltar, ela ocupará as mesmas datas do Campeonato Brasileiro, se esta competição for retomada. No caso de Grêmio, Inter e os principais clubes brasileiros, o calendário ficaria caótico.


Seria simplesmente impossível jogar os dois campeonatos. Independente disso, a Conmebol está com a decisão tomada. Se houver liberação, retomará a Libertadores imediatamente. Mesmo que seja em setembro, outubro ou novembro.


FONTE: Gauchazh.clicrbs.com.br

FOTO: Ricardo Duarte / Agencia RBS

TROPICAL FM 97.7 - LESS.webmaster