1/2

Deputado estadual pede ao MP investigação sobre terreno doado ao Inter


O Ministério Público do Rio Grande do Sul recebeu nesta sexta-feira um pedido para investigar a doação do governo gaúcho ao Inter dos terrenos para a construção do CT de Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre. A solicitação para apurar uma suposta irregularidade partiu do deputado estadual Fábio Ostermann, líder da bancada do Partido Novo na Assembleia Legislativa.


O clube gaúcho garante amparo jurídico no acordo firmado com o poder público. O governo também afirma sua "absoluta segurança" nos termos do procedimento. O deputado solicita que seja apurada a diferença de mais de R$ 40 milhões entre a avaliação feita pelo Estado e a estimativa de uma auditoria contratada pelo Inter.


À época da doação, em julho de 2019, um laudo técnico preparado Departamento de Administração do Patrimônio (Deape) da Secretaria Estadual de Planejamento, Orçamento e Gestão, avaliou o terreno em R$ 16,6 milhões.


No entanto, o clube apresentou um valor dissonante em seu balanço patrimonial, publicado em seu portal de transparência. Conforme o documento, o terreno foi avaliado por R$ 56,93 milhões por uma consultoria contratada.


A principal reclamação de Ostermann tem a ver com a contrapartida com a qual o Inter tem de arcar pela doação do terreno. Conforme o acordo, o clube é obrigado a desembolsar 20% do valor total da área e investir em melhorias para o Estado e na cidade de Guaíba.


Pelo acordo vigente, o clube tem de pagar R$ 3,32 milhões aos respectivos órgãos. O repasse saltaria para R$ 11,38 milhões conforme a avaliação da auditoria contratada.


De acordo com o vice-presidente de negócios estratégicos do Inter, João Pedro Lamana Paiva, o acordo para a cessão da área tem garantias e segurança jurídica. A diferença nas avaliações é tratada como "questões fiscais e contábeis". Ele assegura que a auditoria foi imparcial na análise.


FONTE: Globoesporte.com

TROPICAL FM 97.7 - 2020 - LESS.webmaster