1/2

Fifa autoriza abertura da próxima janela de transferências


A Fifa divulgou nesta quinta-feira um documento no qual divulga novas determinações envolvendo a situação de exceção do futebol no mundo pela pandemia do novo coronavírus. O Escritório encarregado por tais questões no Conselho da Fifa ouviu clubes e federações e decidiu sobre aspectos que estavam em aberto após a paralisação de ligas ao redor do mundo, atrasando o calendário 2019/20. A entidade, permitiu, por exemplo, que os países abram suas próximas janelas de transferências ainda com jogos a realizar na atual temporada.


De acordo com o documento, esta situação deve ser evitada e ocorrer apenas em caso de exceção. Caso as federações decidam abrir suas janelas de transferências ainda com campeonatos da atual temporada em vigor, o mercado deve coincidir com as rodadas por no máximo quatro semanas. A Fifa ainda destacou que o primeiro período de mercado aberto da temporada 2020/21 - no caso da Europa, a tradicional janela de verão - não poderá exceder 12 semanas (três meses).


Se a janela for aberta ainda com as competições de 2019/20 acontecendo, estão permitidas trocas de jogadores entre os clubes, assim como assinar com jogadores sem contratos. Nos dois casos, porém, os atletas em questão só poderão disputar campeonatos nacionais na temporada 2020/21.


O documento ainda indica que, para evitar possíveis situações de desemprego, os jogadores de futebol poderão ser inscritos em até três clubes diferentes em uma mesma temporada. Entretanto, só poderão entrar em campo por dois deles. A exceção é se o terceiro clube fizer parte de uma federação onde a temporada respeite outro calendário.


Sobre os casos de atletas que têm contrato terminando nas próximas semanas, antes do fim de ligas nacionais e competições continentais, a Fifa indicou que as federações devem buscar prolongar contratos respeitando a legislação de cada país.


A entidade recomenda que, em casos de transferências já acertadas, a prioridade seja dos atuais clubes - devendo os próximos vínculos terem início adiado. A Fifa ainda descartou que clubes compradores possam alterar os termos de transferências assinados anteriormente, que devem ser respeitados.


FONTE: Globoesporte.com

TROPICAL FM 97.7 - 2020 - LESS.webmaster