1/2

Itapiranga: Excelência no status sanitário do rebanho

A bovinocultura leiteira é a atividade econômica de maior base social em Itapiranga, no extremo oeste catarinense, com 600 famílias envolvidas. Para aumentar a lucratividade do produtor, por qualidade e comprovação de sanidade, iniciaram em maio as consultorias tecnológicas, desenvolvidas pelo Programa SebraeTec.


A iniciativa é do Sebrae/SC, da Prefeitura de Itapiranga e do Instituto de Desenvolvimento Regional (UCEFF-IFAI), com o apoio da Cidasc. Os trabalhos nas propriedades rurais seguem todas as recomendações dos órgãos de saúde em função da pandemia.


Ao todo serão atendidos 300 empresários rurais com consultorias que consistem na avaliação da sanidade dos animais, revisão dos cadastros do plantel no órgão competente, conferência do inventário do rebanho, coleta de amostras de sangue para o diagnóstico laboratorial, verificação e finalização do laudo conclusivo negativo para iniciar o processo de certificação da propriedade como livre de tuberculose e brucelose.


Entre os benefícios das consultorias tecnológicas, segundo o gerente regional do Sebrae/SC no extremo oeste, Udo Martin Trennepohl, estão atendimento da legislação específica; garantia de saúde pública (humana e animal); melhora no posicionamento de mercado, da qualidade do processo, do produto; segurança nos investimentos; modernização e ampliação da atividade; aumento no faturamento e diferenciação do produto/serviço.


O plantel de bovinos de Itapiranga é de 39.000 animais, sendo 20.400 vacas e 16.300 em lactação. Em 2018, o movimento econômico da atividade foi de R$ 85,9 milhões, sendo R$ 80,6 milhões da produção de leite e R$ 5,2 milhões da venda de novilhas.


Em 2019, os indicadores são ainda mais positivos, com faturamento total de R$ 92,8 milhões, sendo R$ 87,6 milhões da produção de leite e R$ 5,2 milhões na comercialização de novilhas.


Fonte/foto: MB Comunicação

TROPICAL FM 97.7 - LESS.webmaster