1/2

Operação Luz da Infância é desenvolvida em SC e País



Investigadores que estão atuando na Operação Luz da Infância 7, deflagrada nesta sexta-feira (6) com a participação de polícias civis de 10 estados, e com frente de ações em outros quatro países, disseram que, entre os presos, há um que tinha, em uma cidade de São Paulo, um estúdio onde eram produzidos conteúdos de abuso e exploração de crianças e adolescentes.


Até o momento 49 pessoas foram presas em flagrante. Só em São Paulo foram 29 prisões. Em Santa Catarina foram oito; no Paraná, quatro; e no Pará, três. Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul tiveram, cada um, uma prisão em flagrante.

Segundo o coordenador de operações cibernéticas da Secretaria de Operações Integradas (Seopi) de São Paulo, Alesandro Barreto, o número de presos deve aumentar até o final do dia, com as diligências que estão sendo realizadas na busca da materialidade desses crimes.

Entre as apreensões há R$ 160 mil em espécie, apreendidos na cidade mineira de Unaí; armas de fogo; veículos e motos de luxo, inclusive uma Land Rover. Também foi sequestrado um imóvel que, segundo Barreto, está avaliado em R$ 300 mil.

Buscas e apreensões estão sendo feitas também na Argentina (províncias de Santa Fé, Entre Rios, La Pampa, Formosa, Mendoza e Missiones), Paraguai (Cidad del Este e Assunción) e nos Estados Unidos (Knoxville, Nashville, Dallas, Raleigh e Pittsburgh).

Pandemia e uso de internet

De acordo com a representante do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil Annie Barreto, o isolamento social decorrente da pandemia tem feito as pessoas ficarem mais em casa, ampliando o tempo de uso da internet.

Segundo Barreto, desde 2017, 700 pessoas já foram identificadas e presas, durante operações policiais, por esse tipo de abuso.

Luz da Infância

A Operação Luz da Infância 7 foi deflagrada com o objetivo de identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet no Brasil e em quatro outros países.

No Brasil, a legislação prevê pena que varia de um a quatro anos para quem armazena esse tipo de conteúdo. O compartilhamento de materiais desse tipo pode resultar em penas de três a seis anos; e, no caso de produção de conteúdo relacionado a crimes de exploração sexual, a pena varia de quatro a oito anos de prisão.

A operação cumpre 137 mandados de busca e apreensão em dez estados: Alagoas, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.



No Oeste


Foi deflagrada na manhã do dia 06/11/20 uma Operação Internacional de Combate a Pedofilia, em 5 países, que em Santa Catarina foi chamada de Luz na Infância 7. Em SC foram cumpridos Mandados de Busca e Apreensão em 10 cidades, inclusive em São José do Cedro. Após investigação policial verificou-se que um indivíduo estaria baixando arquivos de natureza sexual envolvendo crianças e adolescentes.


Com autorização judicial, Policiais Civis de São José do Cedro e Peritos do Instituto Geral de Pericias realizaram busca na residência do investigado e, após análise do perito criminal, confirmando a existência de pornografia infantil nos dispositivos eletrônicos, foi feita a condução do proprietário para a Delegacia de Polícia e autuado em flagrante.


O procedimento criminal será encaminhado ao judiciário e o conduzido permanecerá na Unidade Prisional Avançada de São José do Cedro a disposição da justiça.


É importante lembrar que o download e o armazenamento de arquivos envolvendo nudez e sexo de crianças e de adolescentes configura delito previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente, com penal prevista de 1 a 4 anos.


Fonte/fotos: Agência Brasil/Polícia Civil

TROPICAL FM 97.7 - 2020 - LESS.webmaster